Lipidose Hepática: Meu gato parou de comer. E agora?

E agora é hora de saber que quando um gato para de comer, diferente do cão, não podemos esperar 3 dias para ver se ele volta a comer sozinho e, então, levá-lo ao veterinário. Isso porque o gato pode desenvolver a lipidose hepática, ou doença do fígado gorduroso, quando fica muito tempo sem comer. E volto a dizer que “muito tempo”, para o gato, é de 2 a 3 dias. Esta doença é, na verdade, mais um sinal clínico (sintoma) que uma doença em si, visto que todas as doenças de gatos que levam à falta de apetite podem levar à lipidose hepática. E como quase todas as doenças que acometem os gatos levam à hiporexia (apetite diminuído) ou anorexia (falta de apetite), a lipidose pode acompanhar a maioria das doenças agravando-as. Um gato com lipidose hepática, mesmo que ele “queira” comer, não consegue, pois o pouco que come vomita. Inicia-se um ciclo vicioso, pois a falta de alimento é a causa do problema, mas dar alimento leva à emese (vômito). Claro, o animal fica fraco, perde peso e vai a óbito. Um gato com lipidose deve ser internado para ficar sob cuidados intensivos com fluidoterapia (soro) para tratamento da desidratação e medicamentos anti-eméticos, pois é de fundamental importância controlar o vômito para iniciar o quanto antes a principal parte do tratamento: alimentação forçada. Esta é realizada de forma gradativa com pequenas quantidades nos primeiros dias, aumentando e corrigindo as necessidades calóricas diária conforme o peso de cada animal. A alimentação é feita várias vezes ao dia, de hora em hora ou a cada meia hora (ou mais ou menos conforme cada caso) e será através de sonda ou, em casos menos graves, forçada na boca com uma seringa. Claro, outros medicamentos fazem-se importantes no tratamento (como antibióticos, reposição eletrólitos no soro, vitamina K, entre outros) e variam conforme o quadro clínico. Cabe ao médico veterinário fazer o protocolo ideal para seu paciente. Descobrir o que levou o seu animal a desenvolver a lipidose hepática é muito importante, embora, nem sempre possível. É importante investigar outras doenças através de exames ou algum fator estressante como mudanças no seu ambiente ou na sua rotina (pessoas ou animais novos na casa, mudança de alimentação e, principalmente, viagens de seus donos). O stress é uma causa muito comum da lipidose. Na maioria das vezes, quando o dono do gato viaja, a pessoa que fica responsável pelo animal não percebe que este está comendo pouco. Muitas vezes, o gato vai até o potinho de comida e come alguma coisa. ISSO É MUITO IMPORTANTE: SÓ PORQUE O GATO É VISTO COMENDO NO SEU PRATINHO NÃO SIGNIFICA QUE ESTÁ COMENDO O SUFICIENTE!! Atendi vários pacientes felinos, cujo dono dizia que o seu gato estava comendo, pouco, mas comia. A questão é que se seu gato está comendo cinco, seis ou dez grãos de ração por dia é o mesmo que “não estar comendo”, dadas as características fisiológicas de um gato. Ou seja, se a quantidade de alimento ingerido é muito pequena, o fígado pode desenvolver a lipidose, mobilizando as gorduras reservadas para suprir a falta de alimento. Outro fator que predispõe à doença é a obesidade. Resumindo… É de extrema importância ter certeza que seu companheiro gato esteja comendo a quantidade que costuma comer. Observse a presença de fezes na caixa de areia, se está na freqüência de sempre (1 ou 2 ou mais vezes ao dia,). Se você suspeitar que ele está sem apetite, perca uns minutinhos ao lado dele, fazendo carinho enquanto come (ISSO É MILAGROSO!!). Muitas vezes, só a carência faz o gato perder a vontade de comer; pode acontecer de você ter estado muito ocupado com o trabalho ou outra atividade e seu animalzinho ter sentido isso. Ofereça comidas que ele goste, pois é melhor ele tomar um leitinho, comer uma carninha ou um patê do que não comer nada! E se, mesmo assim, continuar sem comer e, MUITO IMPORTANTE, SE ELE NÃO ESTIVER VOMITANDO; force um pouco de ração úmida (comercial) numa seringa, pequenas quantidades com intrevalos de tempo entre elas, depois veja se ele come sozinho. Para forçar alimento com seringa, é importante não forçar na “goela”, pois ele pode engasgar-se. Sempre deixe sua cabeça na posição anatômica (normal, como ele anda, por exemplo) e não direcione para cima, como costuma-se fazer para forçar comida; pois quando a cabeça fica para cima (olhando para cima), a glote abre-se para o pulmão, fazendo com que o alimento vá para o pulmão. Portanto, ao forçar alimento para o seu gato, tenha em mente esses cuidados básicos para não causar um problema ainda maior. Coloque pequena quantidade dentro da boca, sobre a língua e deixe que ele coma sozinho, dê tempo para ele comer. Claro, essas tentativas de retorno ao apetite em casa deve ser realizada por 1 dia. Se , no dia seguinte (no máximo), o gato não voltar a comer normalmente (quantidade significativa de ração), leve-o para o veterinário para que ele possa ajudar a descobrir a causa da anorexia/hiporexia. É importante lembrar que gato é diferente de cão e que 2 a 3 dias sem comer (ou comendo menos) pode levar a conseqüências sérias na saúde que, se tratadas tardiamente, podem ser irreversíveis e levar a óbito.

About these ads

4 Respostas para “Lipidose Hepática: Meu gato parou de comer. E agora?”

  1. Maria Nazaré Gomes de Brito Simone Diz:

    Olá…Dia 15/02/11, minha gata Lua morreu, vítima da lipidose hepática, ela parou de comer e imediatamente levei-a ao veterinario, onde foram feitos toodos os procedimentos necessários, mas infelizmente sem sucesso, ficamos inconformadas, pois td q foi feito td q é possível…
    Pergunto, será q a lipidose não se instalou, pq, em uma outra visita ao vete (alguns dias antes), foi feito um procedimento (limpeza de tártaro), e isso causou um stress muito grande nela????, depois disso ele teve q retornar, pq apareceu um absesso, em uma glândula perto do anus, e isso causou um incomodo muito grande nela. Busco respostas e não encontro, tento não me culpar, pq ela era super saudável, alimentação, era a melhor do mercado (para gatos “mature”),me ajude…preciso de clareza… Obrigada

    Resposta:

    Nem sempre é fácil achar a causa da lipidose, embora o stresse seja sim um fator agravante. O mais importante na lipidose é não subestimar a falta de apetite do animal e, independente da causa, levar ao veterinário. Por ser uma doença grave se não tratada a tempo, muitos gatos vêm a óbito mesmo com os maiores esforços e procedimentos corretos dos veterinários.
    Mas não se culpe, já que vc fez o que estava ao seu alcance… Não tem relação com falta de alimentação ideal antes de aparecer a doença. Tenho certeza que vc a tratou muito bem (aliás gatos obesos – muito bem tratados – parecem ter mais propensão para o desenvolvimento desta). Infelizmente, é uma doença ingrata que chega de mansinho e quando percebemos evolui muito rápido. Muitas vezes, nem se diagnostica e acaba-se não tratando, o que não foi o seu caso.

    Por isso, penso que seria importante pensar em sua gata com uma saudade saudável e não culposa, lembrando que ninguém (nem gatos nem humanos) está livre de doenças e, um dia, da inevitável partida.

    Vc tem outros gatos? Procure dedicar-se a eles com amor (afinal eles também sentem falta da Lua)… Se não tem, quando sentir-se preparada, adote um, vai ver que ele fará milagres na sua vida desfalcada pela perda…

    Abraços…

  2. gertrudes.prazeres Diz:

    Olá Amigos
    Estive a ler todo o vosso texto, resolvi dividir com vocês a minha angustia, para que uma resposta vossa anime um pouco o meu coração, eu tenho um gato chama-se freddy é lindo está muito gordinho obeso mesmo é um comilão tem nove anos
    e pesa 10kg, sempre tem estado bem, mas o mês passado começou com as fezes muito duras, fui ao veterinario fez radiografia aos intestinos e analises ao sangue, o resultado foi o figado gordo logo o medico aconselhou uma ecografia
    abdominall, fez a ecografia diz que esta tudo bem mas muita gordura no figado,
    tenho de o pôr a dieta, então eu gostava de saber pelo que li os gatos com este problema não podem estar sem comer, se o stresse é inimigo desta doença, eu ao fazer-lhe a ecografia estive a fazer-lhe mal, ele ficou muito stressado sem pelo na barriguita asustado, a fazer a ecografia ficou triste pode vir a deixar de comer ainda fiz pior, estou muito triste por causar mal ao meu gatinho só choro mas hoje ele comeu bem e já está mais animadinho, não sei quanto tempo leva o pelinho a crecer, agradecia uma palavrinha vossa porque estou muito triste, obrigado pela vossa atenção,
    cumprimentos.
    Gertrudes

    Resposta:
    Cara Gertrudes!
    O importante é que o Fred está bem! Obeso, sim, como muitos atualmente… Exames sempre levam o animal ao estresse, mas é um estresse necessário e passageiro também. Como vc mesma vium, ele já voltou a comer e está animadinho. Jamais deixe de fazer um exame importante por não querer estressar seu gato, a não ser que o veterinário assim aconselhe porque é indispensável um mal menor para um bem maior. Vc está certíssima de levar seu gato ao vet e fazer tudo que foi pedido, agora continue acompanhando com o profissional (sempre fazendo a dieta com acompanhamento e pesagem) para que o fígado gordo não tenha consequências piores.
    No mais, tenho certeza que (pela forma que pareceu ser atenciosa com seu gatuno) estará sempre alerta para qualquer sintoma que ele apresentar, como a falta de apetite por exemplo.

    Grande abraço!

    • gertrudes.prazeres Diz:

      olá amigos
      Obrigada pelo vosso carinho e atenção, o meu Freddy está melhor come bem
      gosta da ração de dieta mas ainda come um pouquinho de comida de lata, está dificil de retirar tem de ser aos poucos, ele mia muito e vence, o pelinho também já comecou a crescer, tudo está bem melhor agora,eu também fiquei mais animada com a vossa resposta, obrigada de coração.
      Abraços
      Gertrudes

  3. fala sério

    Resposta;
    Desculpe, mas não entendi…

Os comentários estão desativados.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 35 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: